O que é curva de demanda e como se aplica no setor hoteleiro?

Veja como a curva de demanda pode auxiliar o setor hoteleiro tanto na área de gestão de estoque quanto na de classificação de clientes. Clique e confira!

A tecnologia, aplicada na forma de sistemas inteligentes, passou a fazer parte da rotina hoteleira. Com isso, o manejo de dados e a análise de desempenho tornou-se uma tarefa comum e muito necessária.

Com tantos dados disponíveis em mãos, as equipes gerenciais devem efetuar relatórios de desempenho e criar formas de analisar mais profundamente os números produzidos pela atividade do empreendimento hoteleiro.

Dentre os métodos utilizados para efetuar as análises do negócio, uma das mais conhecidas é a Curva de Demanda (também conhecida como Curva ABC). Para quem não conhece, a Curva de Demanda nada mais é do que uma representação gráfica de uma função matemática. É um diagrama cartesiano no qual é apresentado a relação entre o preço e a quantidade de um produto que os clientes estão dispostos a adquirir.

Elas são excelentes indicativos da conexão entre oferta e demanda de produtos e serviços, servindo como auxiliar para análise da competitividade da empresa.

A curva de demanda também pode ser aplicada no setor hoteleiro. Quer saber como utilizá-la? Continue lendo o texto e descubra.

Como a curva de demanda se aplica ao setor hoteleiro?

Gestão de estoque

Assim como outras empresas, o hotel também possui um estoque de produtos. O princípio do 80-20 na gestão do estoque hoteleiro serve para classificar os itens em 3 modalidades (seguindo o princípio de Pareto):

  1. Poucos itens, mas com alto valor de demanda;
  2. Itens em quantidade média e valor de demanda intermediário;
  3. Muitos itens, valor de demanda mais baixo.

Feita a classificação, a equipe responsável pela gestão do estoque consegue visualizar qual a importância de cada item ali presente para a receita do hotel, assim como sua frequência de consumo.

Diante desses dados, o planejamento das quantidades e até mesmo da disposição e armazenamento se tornam mais precisas, evitando perdas e a escassez de produtos. Em um hotel onde o estoque perde menos, os prejuízos também são menores, algo que todo gerente deseja para sua unidade.

Classificação de clientes

Além da gestão de estoque, a curva de demanda também pode auxiliar a classificação de clientes no setor hoteleiro. Empreendimentos que têm foco na categoria executiva/corporativa possuem representantes que fazem visitas e reuniões de vendas com empresas e indústrias.

Conforme a carteira de clientes vai crescendo, é possível identificar o 20-80, ou seja, quais são os 20 principais clientes que são responsáveis por 80% da renda.

É claro que não se trata de uma equação imutável, alguns hotéis podem ter carteiras de 10-80/ 14-80. Contudo, a análise da Curva demonstra que a média é 20 clientes gerando 80% da renda.

Esse é um importante exercício de priorização dos clientes mais rentáveis, uma análise que auxilia os vendedores externos a elencar quais são as reuniões mais importantes e quais clientes demandam mais atenção.

Um pouco de história

A Curva de Demanda foi criada tendo como base o teorema elaborado pelo economista italiano Vilfredo Pareto. Ele redigiu o teorema durante o século 19, e tem como base a análise do 80-20.

Na análise, Pareto identificou que 80% da riqueza da Itália estava concentrada em 20% da população. A partir de seu cálculo, outros economistas criaram suas análises. Como é o caso de Joseph Moses Juran, criador do “Princípio de Pareto” para analisar que 80% dos desafios de uma empresa eram causados por 20% de suas atividades.

Algum tempo depois, o Engenheiro F. Dixie também aplicou o Princípio de Pareto na realidade administrativa do estoque da GE, empresa para qual trabalhava, e percebeu que os números seguiam as proporções elaboradas por Pareto.

Diante disso, surgiu a teoria do 80-20, que é aplicada de diversas maneiras dentro dos negócios, seja para manejar o estoque, para classificar os clientes e analisar os incomes de receita.

A utilização da curva de demanda no setor hoteleiro é mais aplicável à gestão do estoque. Contudo, sua utilização para manejo de clientes e para análise de dias de maior movimentação também traz mais assertividade para a gestão financeira do hotel.

Se o seu hotel está em busca de otimização das finanças, vale a pena aplicar o Princípio de Pareto e ir além, apostando na tecnologia e nos conceitos de gestão de receitas, que é um assunto importantíssimo no universo hoteleiro.

Gostou das nossas dicas? Não deixe de acompanhar o nosso blog para descobrir mais conteúdos informativos e aplicáveis à realidade do seu empreendimento hoteleiro.


Notícias relacionadas

https://newhotel.com.br/wp-content/uploads/2023/02/Design-sem-nome-19-1.pngOtimizar Receitas

Dicas, Finanças, Gestão hoteleira

Como otimizar a gestão de receitas dos hotéis de forma prática

blog-fitur-2023-madrid-espanha

Entrevista, Gestão hoteleira, Tecnologia

Fitur 2023, Madrid – Espanha

blog-natal-a-cidade-mais-desejada-pelos-seus-hospedes

Dicas, Experiência, Gestão hoteleira

Natal é a cidade mais desejada pelos seus hóspedes

Automação, Distribuição e Visibilidade

Maximize as reservas do seu negócio.

Solicite uma demonstração grátis!

Nossa equipe retornará o contato em breve.

Preenchendo este formulário você concorda com nossas políticas de privacidade.